ADESÃO E INSCRIÇÃO NO CURSO DE BARDO

«A viagem que empreendemos quando respondemos ao chamamento é longa e preenchida por tudo aquilo que fomos e tudo aquilo que seremos.»

Cairistiona Worthington, A Sabedoria dos Druidas

 

A prática do Druidismo costumava limitar-se àqueles que podiam aprender com as suas visitas a um Bosque ou a um Druida em particular. Mas, ao longo dos anos, a Ordem desenvolveu um curso empírico que pode ser feito onde quer que viva. Milhares de pessoas de todas as idades e graus de escolaridade já fizeram este curso, que trabalha com as ideias e práticas do Druidismo de uma forma extremamente prática, assim como profundamente espiritual.

O curso, que é publicado para a Ordem pela Zéfiro, inclui a adesão à Ordem e divide-se em três fases ou graus que correspondem às três divisões tradicionais dos antigos Druidas: a dos Bardos, dos Ovates e dos Druidas. Cada grau tem a sua própria iniciação que pode ser realizada individualmente em casa ou com outros num Bosque.

O grau de Bardo condu-lo numa viagem ao longo do ciclo do ano e introduz todos os conceitos básicos do Druidismo - monstrando-lhe que é uma Via que pode ser praticada no mundo actual, trazendo uma maior sensação de ligação a toda a natureza e com a antiga herança da tradição de sabedoria druídica.

O objectivo do curso de Bardo é ajudá-lo a fazer a sua vida florescer e desabrochar – ajudar a sua Alma a expressar-se plenamente no mundo. E fá-lo ajudando-o na descoberta das fontes do seu poder criativo, para que as suas dádivas possam fluir totalmente na sua vida. Para além disso, o curso de Bardo ensina as técnicas fundamentais da espiritualidade druídica – a utilização do ritual, do espaço sagrado, do círculo, das direcções e dos elementos. Ao longo do primeiro ano irá aprender treze rituais, para além das oito cerimónias druídicas sazonais. Estes rituais ajudam-no a harmonizar-se com o mundo natural, com os ritmos da Terra e da lua, do sol e das estrelas. E, enquanto o fazem, ajudam-no a aproximar-se do seu Eu Profundo – a sua Alma –, aquela parte de si próprio que sente a União com toda a vida.

 

Ilustração: "O Bardo" (1794), frontispício da obra "Musicale Poetical Relicks of the Welsh Bards", por Edward Jones.

MAIS INFORMAÇÕES ACERCA DO CURSO | O QUE DIZEM ACERCA DO CURSO? | PEDIDO DE ADESÃO